Saiba quais os processos envolvidos na criação de uma coleção de moda
>
>
Saiba quais os processos envolvidos na criação de uma coleção de moda

Saiba quais os processos envolvidos na criação de uma coleção de moda

Um dos termos mais recorrentes quando se fala em indústria fashion talvez seja “coleção de moda”. Novas coleções são lançadas todas as temporadas, com temáticas diferentes, para públicos diferentes.

Algumas passam pelas grandes passarelas de moda, outras vão direto às prateleiras das lojas. Mas afinal, o que é uma coleção de moda?

A resposta para essa pergunta é complexa e envolve diversos fatores: criativos, mercadológicos, de tendências, prazos e muitos outros. Para que uma coleção seja coerente, são aplicadas metodologias de criação que auxiliam os designers a organizar suas criações.

Quer conhecer todos os processos envolvidos em uma coleção de moda e como otimizá-los para produzir coleções mais completas em tempo menor? Confira o conteúdo a seguir: 

O que é e como funciona uma coleção de moda?

Uma coleção é a reunião ou conjunto de peças de roupas e/ou acessórios que possuam alguma relação entre si. Essa relação normalmente está centrada no tema escolhido, que por sua vez está relacionado com o estilo do consumidor e a imagem de determinada marca.

O funcionamento de uma coleção e seus princípios são, em teoria, muito simples: ela serve para introduzir ao mundo da moda as ideias e os conceitos do estilista por meio de suas composições, técnicas, tecidos, cores, cortes e outros elementos fundamentais das peças de roupa.

A maioria das coleções, desde as marcas mais sofisticadas até as em estágio inicial, são geralmente compostas por dois tipos de produto: os básicos, que permanecem em venda por mais tempo (mais comuns no prêt-à-porter) e os fashions, que têm um período de venda mais curto, muitas vezes limitado.

Como surgiu o conceito de coleção?

Charles Fréderik Worth, por volta de 1850, foi o primeiro costureiro a se tornar “criador”, ou seja, algo parecido com a profissão de designer hoje em dia. Em vez de costurar somente por encomenda, começou a costurar as roupas por conta própria e oferecê-las a suas clientes. 

Para apresentar essas roupas, contratava mulheres de biotipo semelhante ao de suas clientes, inaugurando assim a profissão de modelo/manequim. Apesar de todos esses detalhes, ainda não havia uma unidade visual entre as peças.

Foi Paul Poiret, no início do século XX, que começou a criar utilizando um tema, no caso dele, a inspiração oriental. Ainda não constituía coleções propriamente ditas, mas começou a utilizar o conceito de tema de inspiração. 

Já Elsa Schiaparelli, por volta de 1930, foi a primeira a desenvolver coleções com temas específicos. Esses temas apareciam em diversas peças, por meio de estampas, bordados e recortes. 

Quantas peças tem uma coleção de moda?

Ao desenvolver uma coleção padrão (em relação ao tamanho), é comum que ela tenha, pelo menos, 12 peças/looks. No entanto, existem coleções menores ou maiores, a depender de fatores como sazonalidade, tempo de execução, orçamento e afins.

Dessa forma, há coleções que contam com 8 peças, as chamadas coleções-cápsula, e outras que possuem dezenas, como no caso de grandes marcas. Não há um número máximo de peças, isso depende da estratégia de vendas e do orçamento da coleção.

Além disso, dependendo da categoria do produto em que estiver inserido a sua marca, a distribuição dos itens (maior número de peças individuais ou looks completos) acaba exigindo uma coleção maior ou menor.

Tipos de coleções de moda

Do ponto de vista de vendas, as coleções podem ser de dois tipos: conceituais ou comerciais.

Coleções conceituais

As coleções conceituais têm o intuito de evidenciar o tema trabalhado, de explorar um conceito, ideias e outras inspirações do designer no momento de concepção do trabalho. Devido a essa natureza, ninguém “usa” necessariamente as roupas exibidas nas passarelas. 

O objetivo é que, a partir destas peças, sejam criadas outras que captem o espírito da coleção, mas que atendam os quesitos de vestibilidade do mercado, das tendências e da preferência do público-alvo da coleção.

Coleções comerciais

Já as comerciais são aquelas que já são criadas com o objetivo de serem vendidas. Ou seja, não se focam no estágio conceitual, que é o aprofundamento do tema escolhido. Apenas fazem uso dos estudos das tendências de moda para lançar conjuntos de roupas e acessórios que trabalhem um determinado tema e chegam rapidamente ao consumidor. 

Coleção de moda e storytelling 

Uma das principais ferramentas metodológicas aplicadas na criação de coleções é o storytelling, ou seja, “contação de histórias”. A ideia em si não é nova, afinal, os seres humanos contam histórias desde as épocas das cavernas. 

No entanto, são recentes os estudos relacionados à importância das marcas (e no caso, as coleções de moda) contarem histórias. O objetivo é tornar mais humana a relação entre o consumidor e o produto, ao gerar laços afetivos e emocionais.

Como criar uma coleção de moda?

Do momento em que nasce a ideia de criar uma coleção até o momento final, no desfile de moda, existem diversas etapas na construção de uma coleção de moda. Por meio deles, é possível organizar e operacionalizar os processos de forma eficiente para eliminar erros, retrabalhos e atrasos no cronograma. Confira: 

Escolha qual será o tipo da sua coleção

Como visto, existem, ao menos, dois tipos de coleções, então o primeiro passo para criar a sua é definir se ela será conceitual ou comercial. Essa escolha depende de alguns fatores, especialmente os mercadológicos e os objetivos da sua marca.

Faça uma análise do mercado

Os produtos da indústria fashion também são bens de consumo, ou seja, atendem às necessidades de um público consumidor que está em constante modificação à medida que tendências vêm, vão ou são resgatadas.

Por esse motivo, analisar o mercado é uma das ações primordiais para o sucesso de qualquer coleção. Analise o mercado e as tendências, especialmente as europeias, que costumam ditar a moda por aqui.
 A partir disso, você terá noção até mesmo do tipo de coleção mais adequada para o momento, quantidade de peças e outros detalhes essenciais.

Estabeleça o público-alvo

Toda coleção de moda possui um público-alvo. Se a pesquisa de mercado ajuda a entender as tendências e os comportamentos que estão em alta, a definição de um público-alvo ajuda a filtrar as ideias do designer e refinar ainda mais as peças finais para que ela satisfaça o segmento escolhido como alvo dessa coleção específica.

Procure coletar o máximo de informações sobre o público-alvo: informações socioeconômicas, perfil de consumo, faixa etária, preferências estéticas, afinidades etc.

Monte um cronograma de coleção de moda

cronograma da coleção é a etapa primordial no planejamento de uma coleção bem sucedida. Isso porque ele envolve a gestão de todo o tempo envolvido nos processos desde a aquisição dos insumos, passando pelas etapas criativa e de confecção até a embalagem e distribuição.

Devido à sua importância, o cronograma deve ser planejado corretamente e seguido à risca para que não haja atrasos e outros imprevistos que custem tempo e dinheiro para você.

Defina o tema da coleção

A definição do tema da coleção dá início à etapa criativa na confecção e parte das análises das tendências, das preferências do público alvo e das ideias do designer de moda e do estilista. 

Ele deve contemplar elementos como os aspectos visuais – modelagens, cortes, caimentos, tipos de peças, relação das cores, texturas, tecidos e todo os componentes estéticos, ergonômicos e de usabilidade que comporão os itens da coleção.

Crie os esboços e croquis

O próximo passo é transformar as ideias e o tema em modelos reais por meio dos esboços e croquis – que nortearão as etapas técnicas de estilo e modelagem e servem como base estética para o designer e para a equipe fazer a aprovação dos modelos que comporão a coleção.

Produza peças-piloto

Depois da etapa de estilo, as peças da coleção seguem para a etapa da modelagem. Primeiro, as B são produzidas de forma detalhada para que a modelista seja capaz de, por meio delas, criar os moldes adequados e produzir as peças-piloto, nas quais detalhes como vestibilidade, caimento, corte e outras características serão analisadas e aprovadas pela equipe.

Nas confecções modernas, o processo técnico da modelagem é todo feito de forma digital, o que otimiza todo o cronograma da coleção.

Inicie a etapa de confecção

Peças-piloto aprovadas, é o momento de dar sequência com o corte dos moldes e o início da confecção dos itens. Feito isso, é preciso que haja uma conferência final nas peças para que, só então, elas estejam prontas para o desfile de inauguração da coleção.

Onde encontrar inspirações para a sua coleção

Há diversas fontes de inspiração para uma coleção! Desde fontes técnicas até as criativas, você pode encontrar ideias para explorar em suas coleções em lugares como:

  • Na pesquisa de tendências na fase de concepção da coleção;
  • Nos grandes eventos de moda da temporada;
  • Em algum elemento natural, étnico ou histórico;
  • Nas revistas de moda que são referências no assunto;
  • Nas experiências e conhecimento de mundo do designer.

Na maioria das vezes, o tema escolhido é uma fusão de elementos provenientes dessas várias fontes, então a dica é juntar referências que sejam esteticamente agradáveis, mas que condizam com as necessidades e expectativas do seu público-alvo.

Como dar nome a uma coleção de moda?

Pode parecer um detalhe secundário, mas o nome da coleção é um dos elementos mais importantes dela. É por meio dele que os consumidores são introduzidos ao conceito da coleção, o que contribui para o storytelling que você pretende abordar em sua coleção.

No entanto, escolher um nome nem sempre é uma tarefa fácil. Para te ajudar na escolha, leve em consideração:

  • As referências utilizadas para compor os itens da coleção;
  • a temática das peças (sazonalidade e afins);
  • a história que a coleção deseja contar;
  • técnicas de criatividade para chamar atenção.

Não existe uma regra definida para o nome da coleção. O ideal é que ela represente de alguma forma o conceito e a história do conjunto de peças apresentado ao público.

There are no comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Start typing and press Enter to search

Shopping Cart

Nenhum produto no carrinho.